Recifes de coral, um incrível mundo submarino!

Thumb Recifes de coral, um incrível mundo submarino!

RECIFES DE CORAL, CONHEÇA ESSE INCRÍVEL MUNDO SUBMARINO

Os recifes de coral são importantes ecossistemas que abrigam uma grande quantidade de formas de vida marinha, fornecendo-as abrigo e proteção. Estima-se que aproximadamente 65% dos peixes marinhos vivam nesse importante habitat, sendo fundamental, portanto, a sua preservação.

Apesar de parecerem uma grande quantidade de rochas, os recifes de coral são, na realidade, formações produzidas, principalmente, por um animal marinho denominado genericamente de coral.

Esse animal é adaptado a viver em colônias e produz um esqueleto formado de carbonato de cálcio em sua volta durante toda a sua vida.

Quando esses animais morrem, novos surgem e dão origem a mais esqueletos.

Além do coral, outros organismos podem fazer parte da formação dos recifes de coral por intermédio da produção de esqueleto calcário, como é o caso de algumas algas.

recife de coral

Os recifes de coral são animais do filo dos cnidários e vivem em regiões tropicais e subtropicais do planeta.

Os recifes de coral são considerados importantes bioindicadores da qualidade da água, uma vez que só sobrevivem em água limpa e clara, respondendo rapidamente às pertubações do ambiente.

Esses animais vivem em simbiose com algumas algas fotossintetizantes conhecidas por zooxantelas.

Essas algas vivem no interior dos recifes coral e fornecem-lhe compostos orgânicos, enquanto o coral fornece proteção a elas.

Além disso, as zooxantelas produzem substâncias que deixam os corais com cores características.

recife de coral

Os recifes de coral, além de conseguirem compostos orgânicos por meio das zooxantelas, retiram alimento do mar.

Graças aos seus tentáculos, esses cnidários conseguem capturar alguns seres presentes no plâncton marinho.

Os recifes de coral, como dito anteriormente, abrigam uma infinidade de seres vivos, sendo considerados uns dos sistemas marinhos com maior diversidade.

Essa diversidade também é importante para o homem que explora economicamente os recifes de coral, principalmente no que diz respeito à pesca e ao turismo.

Além disso, os recifes de coral atuam protegendo a costa da ação do mar e são importantes fontes de matéria-prima para a criação de medicamentos e cosméticos.

Infelizmente, apesar de toda a sua importância econômica e ambiental, os recifes de coral estão sofrendo danos irreparáveis em decorrência da ação humana.

recife de coral

Pesquisas indicam que aproximadamente 30% dos recifes de coral encontram-se profundamente danificados.

A poluição, a pesca predatória e o aumento da temperatura média dos oceanos, por exemplo, são alguns dos problemas mais comuns enfrentados por esse ecossistema.

O aumento da temperatura, acentuado cada vez mais pelo aquecimento global, provoca o processo conhecido como branqueamento, que se caracteriza pela perda das zooxantelas e, consequentemente, da cor do coral.

Esse processo deixa o animal mais fraco e mais suscetível a doenças.

recife de coral

No Brasil, os recifes de coral ainda não são amplamente conhecidos.

No entanto, grandes comunidades são encontradas no litoral nordestino desde a Bahia até o Maranhão.

O maior recife de coral vivo do mundo ocorre na Austrália e recebe o nome de Grande Barreira de Corais.

recife de coral

 TRÊS TIPOS BÁSICOS DE RECIFES DE CORAL

Podemos classificar os recifes de coral em três tipos principais: franjas, barreiras e atóis.

Os recifes em franja são aqueles que se formam perto da costa, separando-se dela por lagoas rasas.

Os recifes em barreira formam-se de forma paralela à costa, porém as lagoas apresentam águas profundas.

Os atóis, por sua vez, apresentam-se como anéis no meio do oceano e surgem normalmente em consequência do afundamento de ilhas.

recife de coral

RECIFES DE CORAL EM FRANJA

Esses recifes de coral são os mais comuns e mais simples tipos de recifes.

Se desenvolvem ao longo da linha de costa onde existe substrato duro para o assentamento das primeiras larvas colonizadoras de corais.

Devido a proximidade com a costa, os recifes em barreira são os mais vulneráveis à impactos antrópicos, sedimentação e descarga fluvial.

recife de coral

RECIFES DE CORAL EM BARREIRAS

esses recifes de coral são confundidos muitas vezes com recifes em franja, pois ambos apresentam uma morfologia alongada, entretanto, os recifes em barreira são estruturas que ficam mais afastadas da linha de costa.

A maior e mais famosa barreira de recifes de coral é sem duvida a Grande Barreira de Recifes da Austrália, com mais de 2.000 km de extensão e 225.000km², abriga uma infinidade de organismos marinhos em seu complexo de mais de 2500 pequenas ilhas, lagunas e canais.

recife de coral

RECIFES DE CORAL EM FORMA DE ATÓIS

Esses recifes de coral são anéis que circundam lagoas centrais rasas, a maior parte dos atóis está no Oeste do Indo-Pacífico.

No Brasil, o Atol das Rocas, situado a 144 milhas náuticas de Natal-RN, é o único recife desse tipo, formado por um anel semicircular com 7,2 km² de área.

O Brasil apresenta dois grandes complexos recifais, Abrolhos na região sul da Bahia, e o Parcel de Manoel Luis na costa do Maranhão.

O complexo recifal de Abrolhos tem uma morfologia e ecologia muito próprias.

Sua estrutura de chapeirão, formado por pináculos coralíneos com forma de cogumelo, é pouco encontrada ao redor do mundo.

Existe um alto grau de endemismo e a diversidade local é bastante arcaica, diferindo dos corais caribenhos.

recife de coral

RECIFES DE CORAL E SUA DISTRIBUIÇÃO PELO MUNDO

Calcula-se que os recifes de coral cubram aproximadamente 284.300 km², sendo que a região do Indo-Pacífico (Mar Vermelho, Oceano Índico, Sudeste Asiático e Oceano Pacífico) contribui com a maior parte (91,9%) do total, e os recifes do Oceano Atlântico e do Mar do Caribe possuem 7,6% do total.

A maior formação de recifes de coral do mundo é a grande Barreira de Recifes, localizada a 150 km a nordeste da Austrália.

Esta formação tem mais de 400 espécies e, infelizmente, está seriamente ameaçada devido à poluição e ao turismo predatório.

No Brasil, os recifes de coral ocupam cerca de três mil quilômetros de costa e são as únicas formações do tipo no Atlântico Sul.

Existem 8 espécies de corais que somente são encontradas em mares brasileiros.

recife de coral

RECIFES DE CORAL E SUA BIODIVERSIDADE

Os recifes de coral possuem uma enorme biodiversidade, com grande variedade de peixes, moluscos e inúmeras algas e crustáceos que vivem e se reproduzem neste ambiente.

Estas formações rochosas são o lar de peixes tropicais ou de recifes, tais como os peixe-papagaio, peixe-anjo, peixes da família Pomacentridae e peixe-borboleta; além de uma grande variedade de outros organismos, dentre os quais podemos citar os seguintes: as esponjas, cnidários (inclui alguns tipos de corais e águas-vivas), vírus, moluscos, crustáceos (camarão, lagosta e caranguejos), equinodermos (como as estrelas do mar, pepinos do mar e ouriços do mar), cobras do mar e tartarugas marinhas.

recife de coral

AMEAÇAS AOS RECIFES DE CORAL

Os recifes de coral são animais muito sensíveis a variações ambientais e em todo o mundo já é possivel notar os efeitos negativos sobre esses ecossistemas.

A maior ameaça para esses organismos são as mudanças climáticas, por diversos fatores como: as zooxantelas não suportam variações de temperatura e ao sentirem o strees abandonam a proteção dos corais e então ocorre o branqueamento que pode levar os corais à morte, a acidificação devido ao aumento da dissolução de CO2 nos oceanos dificulta a deposição de CaCO3 pondo em risco os recifes.

Outros impactos antrópicos também vêm influenciando negativamente esses ambientes: assoreamento devido à obras de dragagens, descargas de efluentes, poluição orgânica e inorgânica são exemplos, assim como as técnicas de pesca destrutivas sobre os corais, como redes de arrasto ou pesca de peixes ornamentais com produtos químicos que destroem esses habitats únicos e diversos.

Envie seu comentário:

Você também pode gostar:



Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE