Visite a Bahia! (Parte 1)

Thumb Visite a Bahia! (Parte 1)

Turismo na Bahia

O turismo destaca-se pelo estado ser um dos principais polos turísticos do país. Suas praias do vasto litoral, os sítios históricos coloniais, as belezas naturais e a rica cultura constituem constante atrativo para os visitantes de todas as partes do mundo.

elevador-lacerda

Mas quem for visitar a Bahia pelos motivos mais conhecidos – praia, calor e festa – não vai se decepcionar, claro.

São 1200 quilômetros de costa e quase 300 praias: para badalar, para quem quer sossego, com Resorts para distrair a criançada ou com charmosas pousadas nas quais imperam a calma e o silêncio.

A capital, Salvador, recebe 3 milhões de turistas por ano, quase o tamanho de sua população – só no Carnaval, 550 mil turistas chegam à cidade, grande parte deles para se espremer dia e noite atrás dos trios elétricos, uma legítima invenção baiana.

Passar alguns dias por ali aproveitando a simpatia e a alegria dos soteropolitanos dá direito também ao agito de bairros como Rio Vermelho e a passeios pela história do Brasil, sobretudo no Pelourinho, com seus ateliês, casarios e igrejas do século 18.

Partindo de Salvador, escolha as zonas turísticas que deseja conhecer e apaixone-se pelas praias, paisagens, natureza exuberante e o povo hospitaleiro.

Zonas turísticas:

    • Baía de Todos-os-Santos
    • Caminhos do Jiquiriçá
    • Caminhos do Oeste
    • Caminhos do Sertão
    • Chapada Diamantina
    • Costa dos Coqueiros
    • Costa do Dendê
    • Costa do Cacau
    • Costa das Baleias
    • Costa do Descobrimento
    • Lagos e cânions do São Francisco
    • Vale do São Francisco

Baía de Todos-os-Santos

Em 1º de novembro de 1501, a expedição comandada pelo navegante italiano Américo Vespúcio, a mando de Pedro Álvares Cabral e com a missão de reconhecimento do litoral tupiniquim, vislumbrou “uma baía grande e bela”, à qual nomeou como Baía de Todos-os-Santos, em alusão à data: Dia de Todos os Santos.Assim nascia, oficialmente, esta que é a maior baía do Brasil.

A Baía de Todos-os-Santos, é a maior baía brasileira, tendo 1.052 km² de extensão, profundidade de até 42 metros com visibilidade de mergulho entre 10 e 20 metros.

Para se ter ideia da dimensão desta baía, esta tem aproximadamente a área do município do Rio de Janeiro, a segunda maior metrópole do Brasil.

Em Salvador, destaca-se o Farol da Barra, localizado na praia da Barra. Inaugurado em 1698, época em que o porto de Salvador era o mais movimentado do Brasil e um dos mais importantes do continente, hoje é um dos principais pontos turísticos da cidade.

farol-da-barra

O farol possui uma localização geográfica única no planeta, onde é possível ver tanto o nascer quanto o pôr-do-sol no mar, pois ocupa o vértice da península em que está a cidade.

Por do sol na barra

Saindo de Salvador, conheça um grande patrimônio do Brasil colonial viva experiências de uma cultura rica e diversificada nos municípios do Recôncavo baiano, como São Francisco do Conde, Cachoeira, Santo Amaro, São Félix, Maragogipe, Aratuípe e Itaparica, onde se localiza a única fonte de água hidromineral à beira-mar das Américas.

Mapa da Zona Baía de Todos os Santos:

Caminhos do Jiquiriçá

A região da Bacia do Jiquiriçá localiza-se a cerca de 150 km a oeste de Salvador. Cachoeiras, rios, morros, flora e fauna exuberantes vêm despertando o interesse de inúmeros visitantes, desde os que buscam contato com a natureza àqueles que se voltam para a prática de esportes radicais.

foto-cachoeira-dos-prazeres-4

O patrimônio histórico/cultural da região também é rico e diverso e o seu artesanato feito com esmero, tudo isso conformando uma oferta turística capaz de atrair fluxos regionais interessados em interagir com a natureza e a cultura local.

A Zona Turística Caminhos do Jiquiriçá é composta por dois circuitos: o circuito Vale do Jiquiriçá, que compreende os municípios de Amargosa, Cravolândia, Elísio Medrado, Jiquiriçá, Laje, Milagres, Mutuípe, Santa Inês, São Miguel das Matas, Ubaíra e Itiruçu; e o circuito Recôncavo Sul, formado pelos municípios de Castro Alves, Conceição do Almeida, Cruz das Almas, Dom Macedo Costa, Santa Terezinha, Santo Antônio de Jesus, São Felipe, Varzedo e Itatim.

Caminhos do Oeste

O Oeste baiano, banhado pelo Rio São Francisco e seus afluentes, é um paraíso das águas cristalinas que alimentam todo o Extremo Oeste.

Possui uma beleza incomparável, com cachoeiras, cavernas e pinturas rupestres.

Foi neste cenário que bandeirantes e colonizadores desbravaram a região. As cidades de Bom Jesus da Lapa, Barreiras e o Vale do Rio Corrente oferecem atrações variadas, tanto para os que gostam de aventuras quanto para os que buscam sossego.

mapa-caminhos-do-oeste

Caminhos do Sertão

Espaço da caatinga, a vegetação predominante é formada por plantas secas e sem folhas, onde as espécies que sobrevivem, a exemplo dos cactos espinhosos, são as mais fortes, como a própria população que habita a região.

sertao-da-bahia

As águas termais de Jorro e o grande morro que está instalado em Monte Santo, ponto com clima diferenciado das outras localidades, são muito procurados por turistas, que buscam as bênçãos da natureza no meio do sertão.

Os pés de xiquexique, flor de jurema, umburana, juazeiro, mandacaru e macambira sobrevivem bem ao clima e ajudam o homem a se manter e alimentar os animais.

Um oásis no meio do sertão baiano. Esta seria uma definição bastante apropriada para a bela, versátil e aconchegante Caldas do Jorro, onde, em meio a árvores baixas e retorcidas da caatinga, brotam do solo deliciosas e inusitadas águas termais.

Distrito da cidade de Tucano, Caldas do Jorro é famoso pelo poder curativo das fontes e dos poços da Praça Ana Oliveira.

caldas-do-jorro

Com propriedades terapêuticas já bastante conhecidas e comprovadas, as águas de Caldas do Jorro têm grande poder curativo e são indicadas no caso de doenças alérgicas, dermatoses reumáticas, gastro-intestinais, dispepsias, gastrites, colites, prisão de ventre, doenças do fígado e dos rins, manifestações úricas, acne, furunculose e parasitoses da pele.

Afirma-se que é a melhor fonte de água do Brasil, só comparável às melhores do mundo, tal como a de Vichy, na França, cuja temperatura é de apenas 36°C.

calda-do-jorro-bica

Chapada Diamantina

Chapada Diamantina é uma região de serras, protegida pelo Parque Nacional da Chapada Diamantina, situada no centro do estado brasileiro da Bahia, onde nascem quase todos os rios das bacias do Paraguaçu, do Jacuípe e do Rio de Contas.

Estas correntes de águas brotam nos cumes e deslizam pelo relevo em belos regatos, despencam em borbulhantes cachoeiras e formam transparentes piscinas naturais.

O parque nacional é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

chapada-diamantina

Reduto de belezas naturais, a Chapada abarca uma diversidade grande de fauna e flora. São mais de 50 tipos de orquídeas, bromélias e trepadeiras, além de espécies animais raras, como o tamanduá-bandeira, tatu-canastra, porco-espinho, gatos selvagens, capivaras e inúmeros tipos de pássaros e cobras.

chapada-diamantina

O Parque Nacional da Chapada Diamantina, criado na década de 80 do séc. XX, atua como órgão protetor de toda essa exuberância.

chapadadiamantinapratinha

Na Chapada Diamantina, destaca-se a prática do ecoturismo. Grande parte dos turistas procuram as cidades de Lençóis, Rio de Contas e Morro do Chapéu.

Essa região possui grande potencial turístico pelas belezas naturais que possui, como cachoeiras, grutas, cavernas, trilhas e piscinas naturais, recantos ainda preservados.

Poço encantado

Nela, estão localizadas também as três montanhas mais altas da Região Nordeste do Brasil: o Pico do Barbado (2.033 m), o Pico do Itobira (1.970 m) e o Pico das Almas (1.958 m). Há ainda o Parque Nacional da Chapada Diamantina.

Costa dos Coqueiros

A Costa dos Coqueiros é o Litoral Norte baiano e atrai muitos turistas devido às suas belas e tranquilas praias.

Fica numa região próxima à capital, fato que torna o seu acesso ainda mais fácil pela proximidade ao Aeroporto de Salvador, um dos maiores e mais movimentados do país.

A  estrada desvendou áreas de belezas naturais ainda primitivas do Litoral Norte da Bahia.

O seu traçado permite a integração socioeconômica de diversos municípios vizinhos, possibilitando o desenvolvimento da região, principalmente no segmento de lazer, com uma gama de equipamentos turísticos que facilitam aos visitantes explorar as belezas naturais como a flora, dunas e uma extensa malha hidrográfica.

Linha verde

Destaca-se o distrito da Costa do Sauípe, maior complexo turístico do Brasil, e a Praia do Forte, ambos dentro do município de Mata de São João, além de Itacimirim e Guarajuba, distritos do município de Camaçari.

resort-costa-sauipe-area

Projeto de preservação das Tartarugas Marinhas, o Tamar é ligado ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA), apoiado por parcerias diversas com ONGs e instituições estaduais e municipais.

Criado em 1980, sua primeira sede fica em Praia do Forte, mas o Projeto já é realidade também em outros estados da costa brasileira.

praia-do-forte

Os fãs do ecoturismo também não podem deixar de conhecer a Reserva particular de Mata Atlântica de Sapiranga, a cerca de 3 km de Praia do Forte, seguindo pela Linha Verde.

São 600 hectares de mata secundária, totalmente preservada, com espécies raras de fauna e flora como o mico-estrela, o tamanduá, 40 espécies de pássaros, orquídeas e bromélias.

reserva sapiranga

Conta com um Centro de Apoio ao Visitante, estacionamento, espaço para reabilitação de animais silvestres e guias para trilhas.

São oito opções de trilhas, todas sinalizadas com placas verdes para quem faz o percurso a cavalo ou de bicicleta, e vermelha para quem vai a pé.

Outros destinos desta zona:

costa-dos-coqueiros

Envie seu comentário:

Você também pode gostar: